fbpx

O MÉDICO acaba pagando INSS além do necessário: Requeira a restituição desses valores pelos últimos 5 anos

Escândalos de pacientes na recepção do consultório
novembro 8, 2016
Aborto? Recusa por objeção de consciência
dezembro 6, 2016

Os Médicos normalmente exercem mais de uma atividade remunerada vinculada ao Regime Geral de Previdência (INSS). É frequente a prestação de serviços em mais de um hospital, clínica, laboratório e atendimentos por convênio através de mais um plano/operadora de saúde. Há ainda os que cumulam estas atividades com o exercício do magistério para instituições de ensino superior.

 

Em decorrência das longas jornadas e da rotina atribulada, muitos profissionais da área médica são alvo de RETENÇÃO DE CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA ACIMA DO TETO LEGAL. É que as fontes pagadoras não se comunicam entre si e promovem os descontos de forma individualizada, levando em consideração somente a remuneração devida por elas próprias ao profissional.

 

Ocorre que, no final das contas, a soma de todas as remunerações extrapola o limite previsto em lei (no ano de 2016 o teto legal do salário base para efeito de contribuição ao INSS é de R$ 5.189,82) e essa diferença recolhida a mais, não terá qualquer reflexo no valor da aposentadoria a ser implantada no futuro. Em outras palavras: O MÉDICO TERMINA PAGANDO MAIS DO QUE A LEI PREVÊ COMO LIMITE MÁXIMO E NÃO SERÁ RECOMPENSADO POR ESSES PAGAMENTOS A MAIS.

 

A saída, então, é pedir a restituição desses valores PELOS ÚLTIMOS 5 ANOS e o requerimento para imediata cessação dos descontos pelas fontes pagadoras, mantendo-se somente a principal.

 

Não permita que isso continue acontecendo. Requeira a restituição desses valores e a cessação dos descontos extras.

 

Maiores informações: contato@defesamedica.com.br ou 4003-1242

 

Equipe DEFESA MÉDICA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *